14 de nov de 2011

Nickelodeon analisa poder de influência da criança

Pesquisa indica que pais ouvem filhos antes de tomar decisões familiares

 

Segundo o estudo, para 51% dos pais, toda escolha deve ser baseada na opinião das crianças, sendo que 97% conversam com seus filhos antes de sair às compras

 As pesquisas não deixam dúvidas: a relação entre pai e filho nunca foi tão estreita quanto nos dias de hoje. A fim de compreender esse novo comportamento familiar, a Viacom International Media Networks, distribuidora do canal Nickelodeon no Brasil, realizou o estudo “O poder da influência da criança nas decisões de compra da família”. Ao todo, foram ouvidas 15.600 pessoas por meio de um questionário online, entre crianças de nove a 14 anos e pais e mães com filhos de seis a 14 anos.

Os participantes receberam questões voltadas a nove categorias (Automóvel, Celular/Operadoras, Vestuário, Computadores, Alimentação, Eletrônicos, Calçados, Saúde & Beleza e Fast Food). “A pesquisa foi criada com o intuito de entender quão a sério os pais levam a opinião da criança e, por outro lado, saber se essa criança realmente acha que sua opinião é levada em consideração no ambiente familiar”, explica Adriana Pascale, gerente de pesquisa da Nickelodeon.

Segundo o estudo, 79% dos pais entrevistados declararam ser mais próximos dos filhos do que seus pais eram deles. Na maioria das vezes, as decisões familiares são tomadas de forma conjunta. Para 51% dos pais, toda escolha deve ser baseada na opinião das crianças, sendo que 97% conversam com seus filhos antes de sair às compras. “A interação entre pai e filho é muito maior agora. As famílias mudaram para um modelo menos hierárquico, no qual todos têm algo a dizer. Se formos analisar as gerações no decorrer dos anos, percebemos claramente uma diminuição do espaço entre elas. Com isso, os conflitos também estão diminuindo, dando lugar à compreensão e à abertura ao diálogo”, afirma Adriana.

As crianças influenciam a compra de produtos para toda a família, mesmo quando não são voltados ao universo infanto-juvenil. É o caso da compra de automóveis – 60% das crianças declararam que a sua opinião é levada em consideração por seus pais. Há também uma alta colaboração em itens de vestuário, alimentação e calçados – 56% dos pais afirmam que escolhem junto alimentação e calçados e 54%, vestuário – e nas decisões dos lugares onde a família costuma ir, como cinemas e restaurantes.

A maioria dos pais e filhos realiza muitas atividades em conjunto, como assistir a programas de TV. É o que declararam 99% dos pais e 98% dos filhos. “Com a pesquisa, descobrimos que os pais buscam ouvir os filhos como forma de ensiná-los sobre a importância de respeitar a opinião do próximo, além de ser uma maneira eficiente de conquistar a confiança deles. Os anunciantes, por sua vez, precisam saber utilizar esses dados a seu favor e aprender como criar um conteúdo diferenciado, que chegue até a criança”, ressalta a Adriana.

via exame.com/marketing

Nenhum comentário:

Postar um comentário