15 de nov de 2011

UFC não muda ibope da Globo

Emissora investiu colocando seus principais nomes na transmissão, mas ibope ficou estacionado. A Globo se empenhou, mas não ganhou quase nada (pelo menos em termos de audiência) com a luta deste sábado (12) do UFC, principal evento de MMA (mixed martial arts) do mundo. As informações são da coluna de Lauro Jardim, de Veja.

UFC: faturamento anual de 400 milhões de dólares e planos ousados de expansão da marca

 O investimento da Globo foi alto no evento. A rede fez barulho, trouxe seu maior narrador, Galvão Bueno, Vitor Belfort, um dos principais nomes do esporte no país e vendeu cotas altas de patrocínio para a transmissão da luta entre o brasileiro Cigano e Cain Velasquez.

De acordo com a coluna, o feriadão pode ter atrapalhado a emissora. A transmissão da luta, entre 0h21 à 0h52, rendeu um share de 48% e 16 pontos de audiência na Grande São Paulo pelo Ibope. Em média, no mesmo horário, em 2011, a Globo conseguiu 17 pontos de audiência e 38% de share.

A Globo entrou na briga pelo campeonato depois da repercussão do UFC Rio, em 27 agosto, onde o brasileiro Anderson Silva defendeu o título seu título em luta transmitida com exclusividade pela Rede TV. Band e Record também estavam na briga.

via exame.com/marketing
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário